O ÓDIO - Parte 1 de 2



Parte 1 de 2

Arquimedes Estrázulas Pires
            A Bíblia ensina que fomos criados “à Imagem e Semelhança de Deus”[Gen. 1:27]. Complementando essa informação e explicitamente, o Espiritismo mostra que o Espírito Humano é partícula de Energia Cósmica em viagem evolutiva, passando por todos os Reinos da Criação, vibrando nas mais diversas frequências do Universo, acumulando experiências, adquirindo conhecimento, buscando a sabedoria e rumando, com atração programada, à Perfeição. Só então saberá qual é a sua verdadeira aparência, porque só então conhecerá a Face de Deus.
            Independentemente de vontade, trajetória ou tempo, é pra lá que todos estamos indo. Há verdadeiras multidões de retardatários nessa viagem fantástica, mas todos chegarão um dia a esse destino de Luz e de Perfeição.
            Energia Cósmica, o Espírito vibra em sintonia com todas as coisas e com todos os seres dos reinos da Natureza, dependendo apenas do estágio evolutivo em que esteja em cada um deles. Nos reinos mineral, vegetal ou animal, o Espírito Criado jamais deixa de evoluir. Da mesma forma que Deus jamais deixa de Criar.
            Somos partes do Todo e feitos – rigorosamente - da mesma Matéria-prima de que o Todo é feito.
            Quem se der ao trabalho de analisar a composição de um pedaço de madeira, de um fragmento de pedra, metal ou outro mineral qualquer; quem analisar uma porção de petróleo, ar, ou água; ou se preocupar em saber de quê é feito o corpo humano e que alimentos o nutrem, verá que todos somos feitos, genericamente, das mesmas substâncias.
            Quem fizer isso verá que em toda essa diversidade de opções oferecidas à análise será encontrado um certo “quantum” de - por exemplo - carbono, cálcio, magnésio, alumínio, enxofre, zinco, cobre, ferro, manganês, oxigênio, hidrogênio, etc.
            Isso acontece porque tudo à nossa volta é feito do mesmo Fluido Universal, o composto energético que dá origem a todas as coisas em cada sistema solar.
            Aprofundando um pouco mais esse raciocínio vamos perceber que ao ler a bula do complexo vitamínico e do suplemento alimentar que o médico da família nos receitou porque estávamos com alguma disfunção ou insuficiência orgânica qualquer, de repente encontramos nela o registro de diversas dessas substâncias químicos que acabamos de descrever. Porque é preciso repor, através do medicamento, os elementos necessários ao correto funcionamento da máquina humana.
            Nada mais óbvio, portanto, do que a certeza de que somos, mesmo, partículas do Fluido Universal; partículas da Energia Cósmica ou matéria-prima usada pelo Criador para a composição da Natureza e de tudo o que nela há.
            E porque somos assim constituídos, qualquer coisa que façamos ou qualquer pensamento ou sentimento que nos mova, afeta a frequência vibratória da energia e tudo o que nos cerca.
            Pode-se assegurar, portanto, que da mesma forma como Deus Criou o Universo em que estamos contidos, nós, criados à Sua imagem e semelhança, também temos capacidade de criar; e, efetivamente, criamos!
            O pensamento de criar gera a vontade de criar; daí à ação criadora é apenas uma questão de decisão. Cada uma dessas etapas gera uma certa quantidade de energia suficiente para alterar a frequência e, consequentemente, as circunstâncias do meio em que estamos.
            Quando alguém vibra amor, sentimentos de amizade e bem-querer, emites ondas vibratórias que o tornam simpático às pessoas à sua volta; porque então as suas ondas cerebrais combinam com aquelas que essas pessoas emitem.
            Pela mesma razão é que, ao sentir ódio, magoa, inveja, rancor, desejo de vingança, raiva, ciúme, etc., alteram-se as cores e a vibração energética da aura do indivíduo e ele torna-se antipático às pessoas com quem se relaciona.
            Mas é claro, não são só estas as razões porque devemos vibrar coisas boas, sentir amor pelos semelhantes, fazer caridade, praticar o bem, orar e vigiar. Quando sentimos tristeza, mágoa, etc., a nossa frequência vibratória sintoniza seres inferiores que vibram na mesma faixa e atraímos, por semelhança energética, depressão, distúrbios mentais, desequilíbrios emocionais e doenças físicas de toda ordem.
            Embora não seja padrão, é mais ou menos deste jeitão que as coisas acontecem:
            - A negatividade dos sentimentos que em dado momento e insistentemente alguém manifesta, atraem microorganismos nocivos, de mesma frequência vibratória, que se instalam e agridem a saúde.
            - Espíritos sofredores ou inimigos produzidos em outras vidas aproximam-se, atraídos pelas energias que naquele momento o indivíduo está vibrando e que são de mesma frequência que as deles e, como consequência, vêm os distúrbios psíquicos, os desequilíbrios emocionais e... a depressão.
            Em situações assim o indivíduo tanto pode se tornar um simples doente físico, como pode se transformar em um paciente psíquico-depressivo, fadado a toda espécie de assédio espiritual de baixo nível vibratório.           Feita essa necessária introdução, passemos à busca do entendimento das forças que nos movem pela existência eterna.
            Já vimos que somos partículas emitidas pela Grande Fonte da Vida, essa Luz Cósmica a que chamamos de Deus, já vimos que somos constituídos de matéria extraída do Fluido Universal, já vimos que na condição de energia vibramos em determinada frequência capaz de nos manter sintonizados com as forças do Universo, sejam elas positivas ou negativas e que essa sintonia depende só da vontade de cada um.
            A Doutrina Espírita, segundo o próprio “Messier Hipolyte Léon Denizar Rivail”, mais conhecido entre nós como Allan Kardec, o Codificador do Espiritismo, “trata da imortalidade da alma, da natureza dos espíritos e de suas relações com os homens; trata das leis morais, da vida presente, da vida futura e do futuro da humanidade”.
            Não é nosso objetivo neste ato discorrer sobre os fundamentos da Doutrina Espírita. Apenas buscamos esclarecer algumas coisas relativas ao Espírito Humano, com a intenção única de ajudar às pessoas na melhor utilização do livre-arbítrio e na condução de suas próprias vidas.
            Sabemos, pela abundância literária nesse sentido, que o ser humano não é apenas um conjunto de células formando aleatoriamente um corpo físico; a vida é muito maior do que a simplicidade dessa ideia, por mais complexa que se apresente o conjunto assim formado.
            Correntes filosófico-religiosas do velho Oriente consideram a existência de mais seis (06) corpos, além do físico, formando o conjunto chamado de Ser Humano, que então é assim composto:
01 - Corpo Físico
       02 - Corpo Etéreo ou Duplo Etérico
       03 - Corpo Astral ou Perispírito
       04 - Corpo Mental Inferior
       05 - Corpo Mental Superior
       06 - Corpo Búdico e
       07 - Corpo Átmico ou Centelha Divina
            A Doutrina Espírita, tal como codificada por Kardec e sua equipe físico-espiritual, considera que somos compostos por:
01 - Corpo Físico
02 - Corpo Etérico ou Duplo Etérico
03 - Corpo Perispiritual ou Perispírito e
04 - Espírito, propriamente dito.
            A diferença é apenas conceitual. Na verdade, no Oriente ou no Ocidente, ser humano é ser humano e, lá como cá, todos somos formados pelo mesmo conjunto de corpos: físico, fluídicos e energéticos. A simplificação aqui verificada é só uma medida a favor do entendimento. Na verdade, os corpos Mental Inferior, Mental Superior, Búdico e Átmico, para efeito da enunciação espírita estão contidos no “Espírito” ou Corpo Espiritual. O que não altera em nada a constituição do conjunto.
            Vamos descrever cada um desses componentes e trazê-los até um nível de entendimento mais sucinto, mais claro e mais objetivo:
            CORPO FÍSICO: É o corpo material, o mais denso, o mais pesado, o mais rudimentar dentre todos os demais e, por isso mesmo, podemos compará-lo a uma ferramenta que através do sofrimento e das experiências adquiridas ao longo da existência promove o aprimoramento do Espírito e permite a sua evolução em cada reencarnação; sem ele o Espírito não teria as condições de que necessita para realizar experiências e adquirir conhecimento.
DUPLO ETÉRICO: É um corpo fluídico, energético, tênue e normalmente invisível aos olhos físicos. É no Duplo Etérico que estão localizados os Chakras ou, em sânscrito, de onde tem a origem, as Rodas de Luz.
Os Chakras principais são em número de sete e é através deles que as energias cósmicas são recebidas, distribuídas, processadas e dispensadas pelo corpo físico.
É o Duplo Etérico que permite a acomodação perfeita do Espírito ao Corpo Físico, quando do retorno de cada saída dele. Seja durante o sono, durante as projeções conscientes ou viagens astrais, ou ainda, durante os estados de coma e dos chamados “estados de quase morte”, quando o Espírito se afasta temporariamente do Corpo Físico e depois precisa retornar a ele.
Numa analogia grosseira poderíamos comparar o Duplo Etérico com a meia, que serve de intermediária entre o pé e o sapato, sem alterar nem a função do pé e nem a finalidade do sapato.
Pessoas que conseguem ver a aura de outras pessoas podem, também, ver o Duplo Etérico. Na verdade, qualquer pessoa pode ver o seu próprio Duplo Etérico e o de outras pessoas, se desejar.
Ficando em frente a um espelho, em ambiente de penumbra ou mesmo no escuro, fixando os olhos na direção da imagem projetada no espelho como se estivesse mirando o infinito e sem concentrar a visão em nada, é possível divisar uma espécie de moldura de luz azulada, com espessura média variando de meio centímetro a um centímetro e meio ou dois centímetros; é o Duplo Etérico.
Nessas condições, quem conseguir uma concentração maior poderá ver mais e verá a Aura, envoltório luminoso, multicolorido, que pode ter a espessura de 80 centímetros a um metro e até mais, ao redor do corpo. A internet proporciona uma incrível oportunidade de aquisição de conhecimentos sobre esse tema.
PERISPÍRITO: Allan Kardec inspirou-se na película que envolve as sementes das frutas e que se chama “perisperma”, para nominar esse importantíssimo elemento de composição do ser humano. Por comparação chamou de “Perispírito” a esse corpo plasmático e semidenso que envolve os demais corpos espirituais. O Perispírito é formado de Carbono, azoto (nitrogênio), oxigênio e hidrogênio.
            É a matriz do corpo físico. Tem todas as características deste e - dentre outras atribuições - é o responsável pela preservação da memória espiritual. Segundo a ciência, as células do corpo humano são totalmente substituídas por novas células, em espaços de tempo de até sete anos.
            Isso já seria bastante para comprovar a existência do Espírito. De que outro modo seria possível explicar as lembranças de acontecimentos de há vinte, trinta, cinquenta anos, se não houvesse o espírito e já que as células do cérebro também são substituídas periodicamente?
            O médico e pesquisador holandês, Van Lommel, em entrevista à revista médica “The Lancet”, em 15 de dezembro de 2001, afirma quemorrem 35.000 células por segundo”. E que “todos os dias morrem 50 bilhões de células” em nosso corpo.
           É magnífico o “conhecer”, não é mesmo?!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atlântida – No Reino da Luz – Vol. 1.

LIVRO - A HISTÓRIA DE UM ANJO