domingo, 21 de novembro de 2010

Homossexualismo


Homossexualismo
Arquimedes Estrázulas Pires

Deus fez o homem e a mulher e ordenou: "Sede fecundos, multiplicai-vos e povoai a terra". [Gênesis 1:26'28]
Em todos os níveis da Natureza, nos Reinos Vegetal e Animal, a reprodução se dá através de mecanismos sexuais; depois da vida, é o sexo o maior de todos os dons que Deus deu à Sua Criatura. Não há, portanto, que se discutir derivações dessa decisão Divina; fomos criados Homem e Mulher para que da união dos dois gêneros se dê ensejo à povoação do Planeta Terra.
Mas por que povoar este Planeta Azul?
Este e outros planetas, no nosso ou em outros sistemas solares ou outras galáxias, precisam ser povoados para que seja possível a espíritos em marcha evolutiva cumprirem sua programação existencial e ascenderem para Deus. Nosso objetivo final é sempre a Perfeição.
Na Terra o espírito precisa de um corpo físico para poder cumprir suas tarefas, ganhar experiências, expiar faltas pretéritas, ganhar conhecimento e construir sabedoria. Como Deus não Pára de Criar, claro está que é ininterrupta a chegada de espíritos em evolução, ao nosso Planeta; e todos eles precisam de corpos.
Entendo que não é preciso dizer nada além disto e de que não pode haver reprodução no contato físico de corpos de mesmo sexo. Portanto, o ser homossexual precisa do entendimento necessário para compreender isto, sublimar seus instintos, reparar faltas cometidas no passado e ganhar espaço, em outras viagens no abençoado processo das reencarnações sucessivas, onde lhe seja possível cumprir a missão de "povoar a Terra" por Amor a Deus.
O que nos difere de outros irmãos animais presentemente em níveis evolutivos inferiores é a capacidade de agir mais por sentimento do que por instinto.
Além disso, quando a reencarnação ocorre sem trazer no perispírito esse modelo de correção de tendências mal compreendidas em outras viagens existenciais, a alternância sexual se dá sem conflitos: homem ou mulher, para o espírito pouco importa. Mas importa que seja, ou homem, ou mulher.
Carecemos de ambas as experiências para que ao chegar a níveis superiores, da Espiritualidade, sejamos capazes de contribuir com irmãos que estejam fazendo a mesma viagem, mas ainda em estágios iniciais. Não há, nas Escrituras, nenhuma referência à normalidade matrimonial ou parceira entre pessoas de mesmo sexo. Não há, nas Escrituras, nenhum registro de abono à promiscuidade.
Tudo o que extrapola os limites do razoável e do normal, perturba a ordem e gera traumas. Não se vê com naturalidade uma árvore crescendo com as raízes para cima, um boi com o rabo no focinho e os chifres nas ancas, uma mulher de barba e bigode ou um homem usando ruge e batom. A menos que estejamos em um teatro, claro! Mas a vida, embora seja um grande espetáculo, não é um espetáculo teatral.
Estamos aqui de passagem, é bem verdade, mas em passagem de aprendizado e de evolução; colhendo experiências novas, nos desfazendo de velhas roupagens, acertando contas, ganhando fôlego, conhecimento e sabedoria. Um dia seremos todos capazes de compreender os desígnios do Criador de Todos os Mundos.

Nenhum comentário: