terça-feira, 11 de agosto de 2009

Da Escuridão para a Luz



Do livro “As quatro Revelações” [Dr. Alberto Villoldo]
Este texto faz parte da segunda revelação: “O Caminho do Guerreiro Luminoso”
Copiado e difundido por:
http://www.manantialcaduceo.com.ar/libros.htm
Traduzido por: Arquimedes Estrázulas Pires

Buda nos mostrou o caminho da iluminação e nos e nos ensinou a seguir a nossa própria luz, para podermos nos libertar dos sofrimentos.
Jesus Cristo estava rodeado de luz ofuscante quando foi batizado no rio Jordão.
E os narradores andinos recordam o inca Pachacuti, considerado o filho do sol, que resplandecia com a luz do amanhecer.
Esses Mestres nos deixaram a mensagem de que somos capazes de coisas ainda maiores do que eles próprios fizeram; nós também podemos ter acesso à Luz e eliminar a escuridão de nossas vidas.
Ainda que a luz do amor contra a escuridão do medo possa parecer uma simples metáfora ou algo próprio da mitologia, existe uma base científica para essa idéia universal. Os cientistas sabem que todos os seres vivos são feitos de luz: as plantas a recebem do sol e a convertem em vida; os animais comem as plantas verdes que se alimentam de luz.
A luz é a base fundamental da vida e somos feitos da luz compactada em matéria viva. Além disso, os biólogos descobriram que todas as células vivas emitem fótons de luz em freqüências altíssimas; a fonte dessa emissão de fótons é o DNA.
Assim como é real a luz do amor, também é real a escuridão do medo que se encontra armazenado em cada célula de nossos corpos, talvez até barrando a luz do nosso DNA.
A falsa percepção de coisas que sentimos como verdadeiras é suficientemente forte para escurecer cada um de nossos pensamentos e comprometer todas as nossas interações com o meio em que vivemos. Essa falsa impressão alimenta-se por seus próprios meios e pode começar a desafiar a racionalidade enquanto nos preocupamos interminavelmente com “que tipo de desgraças nos poderão ocorrer.”
O medo cria uma realidade sombria!
Como vimos antes, as profecias cumprem-se e o que nos dá mais medo é o que estará nos esperando na próxima esquina. Não há nenhum mal em sermos cautelosos, mas o medo nos impede de crescer e nos mantém repetindo lições que nos trazem sofrimento e traumas, em lugar de nos abastecer de coisas que nos ofereçam a experiência do nosso próprio resplendor.
O medo obstrui e distorce a nossa natureza luminosa. A ausência do medo, que é a prática principal do guerreiro luminoso, nos permite experimentar nossa Luz e nossa Iluminação.

Nenhum comentário: