Auto Julgamento


Auto Julgamento
29/01/2011

Arquimedes Estrázulas Pires

     Nada a perdoar! Absolutamente nada a ser perdoado; pensamos! Mas, olhando o passado pelo telão da memória vê-se que há muito perdão a dar e muito perdão a pedir.
Sempre cometemos o mesmo erro: nos imaginamos verdadeiros cavaleiros apocalípticos - quando nos referimos aos demais - e nos esquecemos que, como os demais, também temos as nossas fragilidades, os nossos carmas, as nossas colheitas e os nossos acertos de contas. E o duro é que nem sempre nos dispomos a acordar pra nos perdoar ou pedir perdão.
     Diariamente drenamos para a “Mãe Terra” um sem número de sentimentos e coisas inservíveis; e isso é muito bom. Mas há que se cuidar pra que não fiquem resquícios de ressentimentos, dúvidas, mágoas, rancores, auto julgamentos excessivamente rigorosos, cobranças pessoais sobre coisas apenas imaginadas, e o desconforto - que não devia existir, mas sempre existe - de não se ter realizado sonhos, alimentado esperanças e ousadia. Pra que não fiquem dúvidas quanto à utilidade de aqui e ali a gente ter decidido persistir e... seguir adiante.
     Lembrando, sempre, que nem tudo é o que parece!
     O ressentimento é esse péssimo hábito que temos de “sentir de novo”, e muitas vezes sentir de novo e outras vezes mais e ainda outras vezes, coisas que nos envenenam porque mandam o cérebro liberar toxinas que nos matam aos poucos.
     A dúvida é uma bobagem que, se não houver maneiras de esclarecê-la – e sempre há! – é melhor jogá-la na lata do lixo do esquecimento, que é onde deve ficar.
     A mágoa, esse infeliz sentimento que nos judia, escraviza e tortura, é um veneno que vamos destilando sobre nós mesmos. Nada se modifica só porque a alimentamos. Ela também nos corrói, marota e cruelmente!
     O rancor, já o dissemos, é o embrião da depressão, do câncer e de tantas outras doenças que nos aniquilam como a sede ao viajante, no deserto.
     O auto julgamento, quando o fazemos com excesso de rigor - e inflexivelmente, como sempre o fazem os de bom caráter - escraviza e engessa a alma; não deve existir sem que, periodicamente, seja revisto e – quando for o caso – gere um pedido de perdão a nós mesmos, pelos excessos.
     As cobranças que nos fazemos são parte de um processo de monitoramento do que desejamos ver realizado em nossos dias sobre a Terra. Mas não podemos fazer delas, algozes que nos sufoquem e nos coloquem, permanentemente, em condição de abate. Ou nos destruímos pouco a pouco.
     Aquelas coisas que julgamos imprescindível legar aos filhos e demais pessoas amadas, são pura paranoia. Cada filho ou filha será, um dia, pai ou mãe. Mesmo que não tenham recebido dos pais todas as coisas sonhadas – necessárias ou não - terão, também e seguramente, o mesmo sentimento em relação aos seus descendentes. Porque é próprio do ser humano dotado de uma prole, sentir-se “o senhor” absoluto dela, esquecendo que cada qual – mesmo os filhos – são personalidades universais únicas e que - porque é assim que o mundo é feito – terão suas próprias alegrias e lutarão diante das próprias dificuldades. É por isso que todos crescemos. O difícil nos exercita e o sofrimento nos fortalece!
     Deus jamais carrega excessivamente os nossos ombros; certamente não nos carrega além das forças que Reconhece em nós.
     Vinícius de Moraes diz, em seu samba dos anos de 1960, que “o perdão foi feito pra gente pedir”! Principalmente a nós mesmos.
     Ou alguém crê que nunca fazemos coisas contra nós mesmos?
     Além de tudo isso ainda há que ser considerado o fato de que nada do que fica pra traz, na esteira do tempo, é coisa que deva nos preocupar. Os problemas que enfrentamos agora, por mais difíceis, dolorosos e cruéis que se nos afigurem, são coisas que encerram uma colheita necessária e abençoada, por cujas dores nunca mais teremos que passar; porque passamos por elas... agora!
     Deus sempre tem um bom propósito pra nos submeter a essas provas!
     Ninguém vai te amar menos só porque você está com este ou aquele problema de saúde; e nem você deve fazer isso com você! Ame-se ao extremo!
     Esse é o caminho da redenção e da cura; ame-se! Mas não se permita o luxo de se ver vítima de coisas que foram plantadas por você em outros tempos do tempo que a tua mente de hoje não alcança. Nem os bons e nem os maus frutos são colhidos duas vezes, a menos que duas vezes os tenhamos plantado. O que só muito raramente acontece porque, em processo de evolução permanente, o Espírito jamais regride a ponto de cometer o mesmo erro seguidamente.
     Um dia será possível olhar no espelho do Universo e ver quanta Luz o nosso espírito irradia; e então compreenderemos que a luz vem do brilho que tem o que está limpo e purificado. Não desanime e jamais deixe de confiar em Deus!
     Também não se permita - nunca! – ficar desconectado de Deus! Nas orações de todos os dias, todos os dias a gratidão deve estar presente. Somos passageiros do tempo e carregamos coisas que seriam melhor não tivéssemos que carregar. Mas a cada vez que nos desfazemos de um fardo, menor será o carregamento nos dias que vêm!
     A glândula tireoide está localizada sob o Chakra Laríngeo, que fica bloqueado quando deixamos de dizer as coisas que sentimos e que, pra não “machucar” outras pessoas, machucam a nós mesmos. Por isso diga com doçura, se for possível, mas não deixe de dizer!
     Colesterol e diabetes: gorduras desnecessárias, formadas pela falta de açúcares que forneçam a necessária energia de processamento delas, transformando-as em energias vitais. Você nunca deve sentir fraqueza ou indisposição, em relação à vida. Nunca deve sentir medo de viver. Açúcar fornece ATP [trifosfato de adenosina], um nucleotídeo responsável pelo armazenamento de energia em suas ligações químicas.
Quando a gente sente como se não fosse capaz de buscar energia em nós mesmos, pra vencer obstáculos ou enfrentar situações difíceis, o açúcar deixa de ser transformado em energia, como se a gente não quisesse essa energia!
     E o que acontece, então? Se você não quer a energia fornecida pelo açúcar, o teu pâncreas, por ordem do cérebro, deixa de produzir insulina, o hormônio encarregado de reduzir a taxa de glicose (açúcar) no sangue. E o que acontece então? O açúcar não processado pelo organismo porque você não está processando insulina, transforma-se em COLESTEROL; e o pior: pode se transforma em “mau colesterol”, ou seja, o tal LDL, responsável pela formação de placas arteroscleróticas nos vasos sanguíneos.
     Edema nas pernas: cansaço descabido de continuar vivendo; falta de coragem de continuar vivendo. Imaginação de que não tem condições ou que não poderá continuar. Quando a gente sente isso as pernas ficam pesadas, como se não quisessem andar. E daí? Edema!
     Tudo isso pode ser evitado com uma faxina geral, com uma boa limpeza na alma, com um “esvaziamento” do coração. Varra de você todos os sentimentos pequenos e abra espaços pra que Deus possa entrar e Preenchê-los com Luz, saúde e alegria. Aliás, a alegria é o melhor de todos os remédios que podemos nos administrar!
     Ame-se, como tantas pessoas te amam!
     E saiba, definitivamente: Você NÃO está SÓ! Deus está no comando!
     Que Ele sempre te abençoe, ilumine e proteja.
     Paz e Luz!
     ***       ***       ***

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atlântida – No Reino da Luz – Vol. 1.

LIVRO - A HISTÓRIA DE UM ANJO