É preciso saber



Arquimedes Estrázulas Pires

Estamos adentrando a ante-sala da Nova Era e aí não há lugar, tempo ou espaço para sentimentos de natureza inferior.

Muito mais do que a alimentação desregrada ou inadequada, o que sentimos negativamente é que nos causa os maiores prejuízos físicos e espirituais.

Claro, sabemos que sentimentos inferiores, como o ódio, a raiva, o rancor, o ressentimento, os complexos de inferioridade e o desamor induzem o metabolismo do ser humano à depressão e à liberação de toxinas que envenenam e matam; se não de um jeito fulminante, como nos ataques cardíacos, lenta e vagarosamente, em doenças como o câncer, um dos mais cruéis resultados de todos esses sentimentos que irradiam energias de baixa frequência e alta densidade.

Mas também sabemos que muito poucos de nós estão capacitados, pelo exercício diário de sentir e pensar bem e positivamente, a não permitir a liberação dessas toxinas e de tais energias.

Seria muito bom que pudéssemos fazer isso naturalmente, porque o que não puder ser drenado para a natureza, aqui e agora, terá esse fim em outra oportunidade da existência; com base na Lei de Causa e Efeito é exatamente isso o que acontece quando não aprendemos a orientar, de forma planejada, os rumos que desejamos dar ao nosso tempo de existir.

Como os exemplos são instrumentos de altíssimo rendimento e precisão no direcionamento do comportamento humano, é fundamental que nos espelhemos nos melhores; certamente, assim vibraremos em frequências mais altas, irradiaremos energias que produzem alegria, termos mais felicidade e, por consequência, teremos saúde, experimentaremos Paz e inspiraremos AMOR!

Além dos prejuízos causados ao corpo físico, os desequilíbrios energéticos provocados por sentimentos de baixa frequência podem, inclusive, lesar o próprio perispírito. E isso poderá demandar diversas reencarnações para que a recuperação se dê satisfatoriamente.

Claro está, portanto, que não devemos descuidar da necessária, urgentíssima e inadiável reforma íntima; se apenas nós somos responsáveis por todas as coisas que nos acontecem, de bem ou de mal, não é inteligente descuidar das virtudes básicas recomendadas pelo Cristo; dentre elas o Amor e a Caridade.

Sabemos ser impossível dar ao próximo o que nem a nós mesmos estamos habituados a dar; para sermos amorosos e caridosos no trato com nossos semelhantes precisamos, antes, ser tudo isso com o nosso corpo e com o nosso espírito.

Sabemos também que nenhuma reforma é possível sem um pleno conhecimento da porção a ser reformada; de um prédio, de um automóvel, de uma roupa, de uma estrada...

O primeiro passo, quando se trata de reforma íntima, é buscar conhecer o que ainda não conhecemos sobre “quem somos, de onde viemos e para onde vamos.”

A literatura espiritualista, espiritista ou a que nos dá mais recentemente o Universalismo Crístico, está cheia de caminhos que nos levam ao conhecimento de nós mesmos através de ensinamentos sobre o “de onde viemos e para onde vamos”.

Então será possível arregaçar as mangas e começar as transformações que nos darão a configuração necessária aos que viverão os tempos da Nova Era.

Paz e Luz!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atlântida – No Reino da Luz – Vol. 1.

LIVRO - A HISTÓRIA DE UM ANJO